terça-feira, 20 de novembro de 2012

O tempo é sempre real

Ilhéus, 18 de novembro

Só mesmo Nietzsche pra me fazer enxergar porque não se pode ser bom o bastante para ser verdadeiro e nem verdadeiro o bastante para ser bom. É uma coisa com a qual tenho convivido há 39 anos, ora pareço falso, ora pareço um ingênuo, mas eu não posso ser culpado pelos vícios da sociedade. Sei que muitos estão doentes e precisam de ajuda, mas não posso me colocar ao lado deles, não posso ser igual e nem todos querem algum tipo de ajuda, logo, nem sempre (quase nunca) adianta tentar. Eu próprio me sinto doente como o homem que depois de saber tudo o que era possível simplesmente morreu. E aí? Pra onde vai toda a sua ciência, seu conhecimento, seu amor? Será que depois de tanta busca se chega a lugar nenhum? Afinal, de que serve a certeza?
O sol não sai, mas ontem eu consegui ver ao menos a meia-lua no céu, o que me deixou muito esperançoso. Sou um animal que sonha.

Ilhéus, 19 de novembro

O tempo é sempre real

“que o teatro não se torne senhor das artes; que ao ator não se torne sedutor dos autênticos; que a música não se torne uma arte de mentira.” Nietzsche

Estou certo de que minha música é real, mas não consigo ainda vê-la nesse mundo. Isso é idiota, eu sei, mas a culpa de tudo é do Nietzsche que me faz ver cada vez mais luz onde existia apenas obscuridade. Meus olhos ainda não se acostumaram com tanta claridade, clarividência, sei lá.
Incrível ver o azul do céu de Ilhéus. Hoje o sol saiu e fez um dia esplêndido, aliás, desde que cheguei foi o primeiro dia que eu vi o sol e também o primeiro dia que não chorei durante o pedal ou à noite. Tive um belo dia, quando saí tinha de agradecer e muito. Há ainda muita tristeza em mim, mas a alegria também me habita. Não importa que o que é triste seja mais valorizado, a mim só interessa o que for verdadeiro ainda que pareça obscuro, mal compreendido. Há muitas diferenças entre o que é real e bom e o que é falso e alegre. O passar do tempo, as condições do tempo... E o meu destino será guiado por aquilo que me parecer mais alegre? Isso pode parecer fácil, mas o certo é que uma alegria falsa é muito pior que nenhuma alegria.
Se a realidade parecer triste, saiba que há sempre alegria em estar respirando, estar vivo e poder fazer alguém sorrir.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *