sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Blogger Life 33

Me pergunte sobre o dia das crianças! Pergunte sobre as eleições dos EUA! Pergunte aí sobre o caso New "i" Hit! A vida é cheia de pontos de interrogação que viram exclamações, mas eu queria picar essas interrogações na casa da porra e enfiar as exclamações no cu dos perguntadores, mas isso é demônio me tentando a parecer mais maligno do que já sou. Ele vive tentando, coitado, é um pobre diabo... é cada vez mais fácil encontrar a fonte do mal e exterminá-la, mas eu estou ficando mais covarde que o cão e deixo ela lá no canto dela, a maldade, e fico só cá. "Me deixe so-cá, maldade!"
Do dia das crianças eu falo. Tenho 2 sobrinhos lindos e que eu não sei como consigo ser um tio tão horrível amando tanto; que eu ainda não me lembro de que nestas datas as pessoas normais costumam dar presentes; Tenho mais um monte de sobrinhos "pela rua" e acho que por isso eu acabo não lembrando, não sou um cara de boa memória, nem de boa lembrança... nem normal, claro.
Eu não estou bem certo sobre o que eu devo contar dos últimos dias... não que alguém se importe, mas o exercício da mente rememorante, o exercício da escrita rápida e sem muito arrependimento, o exercício da paciência... 
Me disseram que sou muito impaciente, mais de uma pessoa em menos de uma semana, deve estar rolando. Nesses dias tenho notado alguma mudança em mim que eu ainda não me dei conta do que é. Talvez seja apenas impressão, mas é bom eu ficar ligado. Não que eu me importe. Eu nunca quis me aventurar a cantar profissionalmente quando comecei a tocar violão, na verdade eu queria, mas nunca achei que minha voz fosse radiofonicamente viável, na minha "afobação" esperei o tempo passar e ver se a voz mudava, ganhava alguns graves, mas estou com quase quarenta e ainda não estou feliz, mas enfim... hehehe... Paciência!
Nasceu um cogumelo em meu "incensário", dois na verdade. Acho que foi a borra de café com a flor do "ipê rosa" (Lapacho Rosado or Taheebo), (Tabebuia impetiginosa) que eu trouxe pra casa pra pesquisar sobre e acabei conhecendo. Tem uma árvore linda crescendo bem aqui na praça da Revolução e só esses dias é que eu fui ver. O mais formidável é que no meio de tanta coisa que me repugna e que me dá vontade de realmente desaparecer no meio do mato, eis que o prórprio solo da mata densa e cheia de vida em transformação me visita em delicada forma e especial perfume. Agora fico aqui tentando não me deitar no chão (gelado) e fingir que estou ouvindo o barulho da água por trás da rocha.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *