segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Blogger life 24 - Viadagem e preconceito


Viadagem. Isso mesmo, a viadagem persegue o homem, pois somente o homem pode se metamorfosear em viado. Embora eu conheça também algumas "viadas", estas são um caso à parte, a desgraça do homem tem um jeito de ser viado que nada no mundo animal é similar, creio eu.
Mas por que é que eu to falando de viadagem?Ah! sim, blogger life 24...
e eu pensando que sem beber estaria livre dos bares cheios de afetação dessa cidade imunda, mas “quem tem amigo não se governa” já dizia Doutor Barrigão e quem busca a felicidade tem que ir à luta, às vezes para em lugares estranhos, ás vezes tem que disputar com mulheres a delicada flor, o que é desleal. Não há como um homem vencer a graça, delicadeza e a beleza feminina, ainda mais um cara tosco como eu, enfim: entro no bar e um cara quer saber quanto eu calço, outro quer sentar em meu colo, outro me beija a face, parece que não há como escapar, mas eu consigo, sou paciente e sempre sincero, às vezes demais, sou imprevisível, bipolar talvez, neurótico quem sabe. Sou apenas eu contra um mundo de viadagem e preconceito.
Homem é chato. Bêbados, que falam pegando em você, gritando em seu ouvido, lhe cuspindo e sendo inconveniente, isso não é legal. Já as garotas... as mulheres são formidáveis mesmo quando se fazem de idiotas, vagabundas, ou interesseiras, são lindas. Bêbadas então... Não sei como indivíduos que se dizem masculinos são capazes de fazer mal a criaturas tão fenomenais. Não lhes ter cuidado, zelo, carinho, pode, e vai, trazer apenas a desgraça ao infeliz, mas entendo que tem gente “bem ruim” independente do sexo, ou da orientação sexual, ou da viadagem.
Existem mulheres bem malignas, essas a gente pode simplesmente deixar de lado. Perder o tesão por uma mulher também acontece entre os homens não viados, não importa o quão ela seja “gostosa”. Tem gente que curte sexo a qualquer preço, mas, desculpe a “bichice” e ordinariedade: “eu não achei meu pau na rua”. Tenho a obrigação, mas acho que elas também tem que fazer por merecer, porque não existe “homem do meu quilate” (isso é sério!) por aí. Não tão estúpido. Temos que nos contentar com o que a vida nos oferece? Tá bom, eu sei, mas para por aí. As mulheres reclamam do domínio masculino na sociedade, mas esperam sempre que façam tudo e um pouco mais, sendo elas apenas o prêmio. Dirija, pague a conta, abra a porta, seja engraçado, seja carinhoso, seja vigoroso, tire a roupa (de ambos), chupe, beije, bata... enquanto todas as pressões do mundo estão sobre nós. Azar de quem deixa o tesão passar... mais azar ainda daqueles que deixam o tesão subir pra cabeça... mais ainda azar é... esquece.
Não vejo absurdo na homossexualidade, principalmente a feminina, sem preconceito. Cada um tem o direito de ser como é e nada nem ninguém pode reprimir isso. Freud, Jung, Nietzsche passariam o inverno discutindo e não chegariam a avanço algum, nunca mais se avançou tanto. O tempo é que é o senhor do universo, e do tempo, e do jegue de Luiz Gonzaga, que Deus o tenha.
Falando em preconceito... um dia desse serei uma aberração, né? Daqui a pouco todo mundo terá pelo menos duas opções sexuais e já me chamaram de retrógrado por não gostar de algumas coisas bem estranhas... também estive em lugares onde minha masculinidade não era bem-vinda ainda que lá ninguém tivesse interesse sexual ninguém. O mundo é doentio. Me tomam por machista, por sexista, por cretino por gostar de mulher, mas eu ainda não conheço, nem mesmo entre os meus amigos homossexuais, viados e trangêneres alguém que não sinta algum prazer em criticar uma vida sexual dita normal. Eu acho que é pessoal, mas as pessoas acham que isso importa e fingem se importar.
Esse papo de viadagem não é minha especialidade, mas gosto das questões abrangentes. A gente pode falar de mulher, pode falar putaria, mas a viadagem é uma porra...(tsc) É tanta merda em cada cabeça, que tudo acaba, o mundo acaba, “Fróide”, “Níti”, jovem, pica, boca, cu, buceta, flores... a única coisa que jamais se acabará é a estupidez. “A estupidez fode tudo.”

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *