quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Facebook X Google e o pente para 800 (955) milhões de carecas

Ninguém pensa que as patentes são a única causa da guerra entre as duas ou três grandes potências da infomedia da atualidade. Não estou falando de os "bons e os maus", ou a guerra entre gatos e ratos, que tem se tornado o congresso norte-americano e o grupo entitulado "Anonimous". Esse filme já passou na TV. O Brasil infelizmente ainda sofre com sanções a conteúdos postados lá na putaquepariu, porque nosso governo concorda que algo nesse mundo deve ser proibido porque o Tio Sam, aquele pedófilo, bêbado assassino de índios e ladrão, quer.
Em meio à essa besteirada do "controle de conteúdo" países como a China defendem a censura à internet e sem maiores dificuldades. Cybercrimes leves como "spams" são solucionados de maneira assustadoramente eficazes, com a prisão de alguns espalhadores de boatos e visitantes de sites proibidos. Se por um lado os internautas contam com um primoroso sistema gratuito de segurança, o governo se protege das "armadilhas ocidentais", ou capitalistas se preferir chamar assim. A Grécia, a Turquia, o Egito, a Líbia e quase todos os países da região de colisão cultural extrema, países banhados pelo mar mediterrâneo, que por sua vez separa a europa da áfrica, 1º x 3º mundo, católicos x muçulmanos, enfrentam, ou enfrentaram recentemente, crises que mudaram suas histórias. Essas revoluções se deram, segundo nos fazem crer, graças a um clique, ou a uma ligação via celular, quem sabe até mesmo por um vídeo enviado via 3g.
O facebook hoje detém os dados de milhões de pessoas: seus amigos, seus familiares, seus empregos, os lugares que visitou, as compras que fez. Seu perfil vale muito para muitos além de seus contatos. A google por suas vez tenta obter esses dados e colocá-los num lugar "seguro" para a google inc. que com sua nova política de privacidade se livra ainda mais de responsabilidade por qualquer "spamer" e pelo conteúdo de quem quer que seja, além de deter o poder sobre milhões de perfis que valem alguns bilhões de dinheiros. Normal correr atrás de riqueza, o problema é que no Brasil a corrupção tem poderes mágicos bem diversos dos lendários monges chineses que obtiveram seu poder com anos de educação e meditação. 
Somos (brasileiros) uma nação de apenas 500 anos, teremos algum poder contra uma filosofia milenar e um avanço tecnológico de algumas "décadas de milhões de dólares" mais avançada? Seguramente somos o povo mais corrupto do planeta. (Talvez eu esteja exagerando, apenas os cariocas seriam o povo mais corrupto do planeta por estarem próximos à "TV" e à CBF. Acho que desviei do meu assunto...)
A vida nos ensina muito, mas a grande maioria ainda está fora da matrix. Nasceram numa época em que até mesmo "o cão só é o melhor amigo do homem porque não conhece o dinheiro" como me disse o pai de um amigo certa vez (Jaiminho, pai de Ibsen e Ingrid). Somos muito ingênuos em acreditar que existe alguém preocupado com a nossa privacidade ou a segurança de nossos dados. Todos querem apenas colocar a mão no seu bolso ficam guerreando entre si ininterruptamente. Google, Microsoft, Facebook, Twitter, motorola, hp, nokia, sony de um lado e o imperador Chinês com todo um potencial multi-milionário de mercado e suas fábricas de trabalho escravo ou mão de obra super-barata num país com seu bilhão e meio de habitantes de cultura completamente adversa ao interesse das megacoorporações. É como se estivessem esperando crianças da noite para o dia terem idade para beber, tirar carta de motorista, ou votar. Isso seria uma puta injeção em qualquer economia, hein?!
A informação e a informática estão para a revolução, assim como o petróleo está para o desenvolvimento mundial. Cessada a ocupação militar no oriente médio o "capital" irá buscar outro parque para testar suas armas e seus soldados robotizados. Conflitos em Timor-leste, Cisjordânia, Faixa de Gaza, aparentemente não tem nada a ver com minha vida no subúrbio de Salvador, mas quando os caras começam a falar que eu devo ir num cinema caro, a 20 km de minha casa, pra ver um filme que eu posso baixar e ver quando eu bem entender, penso que isso é uma forma de arbitrar o livre-arbítrio.
Muita gente hoje não consegue viver sem a informática. Mesmo que alguns digam que podem, na cidade é impossível e no interior a vida se torna entediante. Vida moderna, mundo moderno, pessoas modernas. Enquanto os gigantes brigam por nossos cliques, os caipiras andam de motocicleta, as crianças brincam de fazendinha virtual, os casais se traem no ciber-namoro e ninguém se liga em coisa alguma.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *