terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Beijos pra torcida

O futebol é uma das coisas que nos liberta de comportamentos triviais e expõe características, diferentes, ou não do comum, que ficam bastante marcadas. Como a minha capacidade de proferir palavras de baixo calão.
Assistindo a um jogo, eu normalmente dou um palavrão a cada 30 segundos. Tenho diminuído bastante, é verdade, a minha vontade de xingar, mas algumas partidas são irritantes demais e alguns jogadores, tipo esses que fingem faltas, simulam contusões para que outro jogador seja punido, me dão nos nervos. Não, para mim isso não é futebol e também não considero um comportamento adequado para uma pessoa que está sendo observada por milhões de expectadores de todas as idades, o que inclui as crianças que aprenderão a usar da malandragem. (Não acredito aprendam qualquer coisa no futebol na tv ou não, mas isso não vem ao caso.) O que é condenável deve ser condenado, não importa a notoriedade do imbecil, audiência do esporte, visibilidade da situação.
Ainda tenho uma certa incredulidade de que um jogo possa mexer tanto com a subconsciência. Deve haver em algum lugar um estudo sobre isso, certamente, a mim compete apenas o estudo sobre a minha irritação durante uma partida do meu time ou da seleção brasileira.
Fico altamente irritado, não importa o placar do jogo, nem para que lado é, quando um jogador age como um marginal. "Futebol é coisa de homem, Thilindão! Isso é do jogo mesmo." Acreditem no que quiserem, mas eu acho que jogador PROFISSIONAL de futebol tem que ter um comportamento digno. Eu quero ver a porra do espetáculo futebolístico, se quisesse ver cena ia ao teatro. Qualquer profissional deve se dar ao respeito e se atitude de homem é se portar como idiota apenas para levar alguma vantagem, isso não é mesmo da minha conta.
Imagine chegar ao topo do mundo sem ter a noção do significado. Ser o melhor em qualquer coisa é magnífico, mas ser um pouco melhor do que ontem já torna alguém grande. Não precisa humilhar os "adversários", nem fazer com que sejam punidos por questões que não tem nada a ver com o assunto. A dignidade para uns não importa, pois ela tem um valor moral menor e menos importante que seu valor financeiro. Triste.
Chegaremos, acredito, num ponto onde teremos mais controle sobre nós mesmos e não nos deixaremos seduzir por quaisquer maiores encantos que não aqueles que nos são caros e louváveis. Qualquer criança aprende a mentir e a se arrepender de seus atos, não acredito que adultos "sociáveis" ajam como se fossem ignorantes. Até quando teremos que tolerar esse tipo de comportamento? Eu não tolero mais faz tempo, por isso que xingo tanto, mas são apenas palavras e mais palavras, sujas, mas palavras.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *