quarta-feira, 12 de junho de 2013

Atropelado de sorte é o que morre

O que me emputece mais não é a indisposição de algumas pessoas em facilitar a vida, o que me fode a cabeça é a vontade que alguns tem em me punir por "crimes" que eu nem penso em cometer. Se eu fosse adolescente ia começar a fazer um monte de merda pra ver se esse povo acorda pra vida, mas beirando os 40, depois de engolir tanto sapo com tanto desdém isso seria mais estúpido do que a esperança que os meus algozes tem de me ver punido.
Hoje foi o dia da audiência no detran pelo atropelamento do qual fui vítima em 09 janeiro. Acordei às 6h, saí de casa às 7h. Fui de carro com meu advogado seriam apenas 20 minutos, mas cheguei lá às 8:30h porque o trânsito... se eu tivesse ido de bicicleta não me atrasaria, mas a chuva não deixa um ciclista ser feliz nessa cidade. Aliás ninguém é feliz nessa cidade quando a chuva cai. Ela, a criminosa,  foi, chegou cedo e às 8:15 já tinha ido embora e pedido o cancelamento do processo. Tentamos ligar pro tribunal do caminho, mas o telefone só dava ocupado, curiosamente quando foi dito lá que o telefone não chamava ele chamou. Agora é pedir uma nova audiência, que deve demorar mais uns meses, e ter fé que a justiça seja feita.
Infelizmente muitos ciclistas não tem a mesma chance que eu. Ontem um garoto de 13 anos foi atropelado e morto, também uma mulher e seu filho de 4 anos, mas eu, que não morri, sigo pagando pela minha "sorte".

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *