sábado, 21 de julho de 2012

Blogger life 20

Tem dias que eu não tenho um segundo de descanso, mas nem sempre consigo me dar conta de meu cansaço e levar meu corpo a um repouso ainda que ligeiro. O dia nunca acaba se tem algum lugar pra ir. Quando o azar é perder a hora do sono sempre há uma coleira esperando um inquieto companheiro, e lá vamos nós, notívagos. A noite nos conhece porque é ela a nossa sombra, nossa espreita. O descanso da noite só aparece na falta de um lugar bacana pra se ir, nem tanto a falta de companhia para se descansar e aquecer, é muito mais a ausência total de opções.
Mas tem coisa pior que a falta de descanso: a falta de senso é uma delas. Já é difícil demais se manter coerente quando se está realmente cansado, é preciso estar atento aos próprios vacilos e aos vacilos dos outros vacilões que nos cercam. É uma luta, mas deve ser vencida. Não é como entender as mulheres, que apesar de meu incansável esforço eu não consigo. Muitos podem não achar nada demais isso, mas eu sou um sonhador, acredito que não existe do meu quilate, mas elas insistem em procurar príncipes e acabam com um que lhes dê um conforto por pouco mais que um falso orgasmo. Crianças tolas! Acabam sem nada e caras legais como eu se acabam com as malvadas, na cachaça. Mas eu luto. Devemos lutar sempre. Deixa pra descansar no inferno que é lugar quente.
Se eu fosse começar a escrever uma biografia sobre mim mesmo acho que eu começaria dizendo que nunca quis falar sobre mim, ou sobre meus atos, mas sou a única experiência que tenho com esse mundo. O que faço, de caso pensado ou não, são meras designações do destino. Não há muito o que se fazer quanto a isso. Se você anda de acordo com o que você acredita é possível até mesmo relaxar e esperar pelo que vier, pois virá e não tardará. Isso não é a bíblia sagrada, não são palavras de poeta louco e ignorante, é uma experiência que se repete desde a expansão das galáxias. É tão simples, tão natural que eu não esquento mais minha cabeça, quando não sou compreendido, ou deixo algo sem uma maior investigação, digo, sem querer me intrometer demais na vida de quem quer que seja, mas à minha volta as pessoas estão preocupadas com a minha opinião e acho que me compreendem bem, mas a insistência, talvez para me testar, talvez por malignidade, ainda existe a mínima possibilidade de que seja simples estupidez, não pela estupidez bruta, crua, uma espécie de “inexperinência lobotômica” seja lá como alguém vá entender o que isso quer dizer. Eu posso encarar muitas situações com diversos pontos de vista, muita gente sabe disso, muita gente simplesmente despreza a existência disso, pois só consegue pensar em si mesmo, enquanto outros nunca pensam neles mesmos, eu não consigo parar de pensar nas coisas e isso não precisa ser um tormento para mim. É um universo fabuloso de possibilidades, mas tem horas que o corpo, a mente, a energia, se vai. Não sei quanto tempo minha mente cercada de drogas e preconceitos pode resistir.
Depois de ouvir a “orquestra glauberiana” eu fiquei com muito mais medo de gravar sozinho. Sou uma puta? Imagina... A banda nova continua sem nome, ainda falta umas peças, uns ritmos, uns acordes, mas vai sair e vai ser esplêndido. Domingo é dia de ensaio e espero que seja assim até o fim do...e 2012 acabará-se com o mundo? No que depender de mim pode acabar com tudo, mas antes eu faço uma festa. Ainda tem “o clube”... quero ver quando o Honkers ressuscitar o que será, que será de mim? O que sei é que hoje eu falo muito e nada sei, amanhã já chegou e ontem estão nestas linhas mal pensadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *