terça-feira, 17 de abril de 2012

Tiê Sangue


Esse pássaro da foto provavelmente fora atropelado por algum veículo em alta velocidade, mas nem posso culpar aos motoristas pois as aves dão vôos rasantes pela pista e acidentes como esse são inevitáveis até para uma bike, mas os bichos ainda tem alguma chance de desviar de uma bicicleta, já de um veículo a 140km/h...



Quando eu era pequeno lá em Santo Amaro, minha diversão era ficar tentando pegar um pássaro desse. Minha técnica era bastante simples: eu badogava neles com siriguela. Na minha cabeça imbecil, uma fruta não era dura o bastante para matá-los, mas o que os mantinha vivos mesmo era minha pouca fé em acertar além de serem pássaros deveras ariscos.
Uma vez deu certo e eu acertei um filhote. Por pura sorte(?) o coitado não morreu e caiu tonto no chão. Peguei-o e coloquei numa gaiola e passei a criá-lo.  Ainda o trouxe para Salvador e ele ficou até quase se tornar uma ave adulta. Foi amansando com o tempo e era possível até deixar a gaiola aberta que ele não fugia. Uma vez eu soltei ele na cozinha aqui de casa (com tudo fechado, claro) para ver se ele já sabia voar, mas o sacana só ficava me olhando e abrindo o bico. Eu não sabia se era macho ou fêmea, mas torcia para que fosse macho, pois possui a coloração mais viva (como esse da foto). 
Um, belo dia, num vacilo de não se sabe quem, ele saiu da gaiola e foi parar no chão, sendo trucidado pelo cão daqui de casa que agora eu não me lembro qual na época (acho que era Scott, um pastor belga). Eu não estava em casa quando aconteceu a desgraça, mas ainda pude ver seu corpo todo perfurado sendo devorado pela formigas. Podia jurar que ainda estava vivo quando o vi e deu seu último suspiro, mas pode ter sido apenas minha esperança.
Enterrei-o onde hoje existe um pé de sapoti, coincidentemente em Santo Amaro também tinha um pé onde Sangues-de-boi, Sanhaços, Sabiás e outras aves faziam a festa todas as manhãs.
Não sei como expressar a minha tristeza por tudo isso. Eu era uma criança que atirava em pássaros e além de tudo ainda os queria perto de mim em uma gaiola. Eu nem posso acreditar que hoje sou tão contra isso. Acho que foi depois da morte desse filhote eu passei a mudar minha relação com os passarinhos. Ainda criei alguns, mas soltei a todos no fim, menos um canário belga que não sobreviveria livre e que acabou morrendo na gaiola.

Os pássaros são lindos
Lindos são livres
Livres eles são como deuses
Os pássaros são lindos

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *