segunda-feira, 5 de março de 2012

Blogger life 007

Parece que os fins de semana estão ficando mais curtos, ou eu não tenho curtido direito, o que eu sei é que chegou a segunda-feira e eu estou com a mente ainda mais cansada. Talvez parar de beber não tenha sido mesmo uma boa idéia.
Fico sempre pensando em como tem gente sem noção nesse mundo... gente sem ter o que fazer... não falo de vagabundos (como eu), nem de pessoas sem emprego, falo daquelas pessoas que do alto de suas atribuições tentam desmerecer idéias alheias, ora pra ser chato, ora porque não sabem viver de outra maneira e acreditam que apenas da maneira que elas vivem é que é possível se desenvolver algum raciocínio. Não sei se eu consigo me fazer entender. ...Algumas pessoas nunca escutam o que falamos, passam o tempo inteiro procurando alguma falha em nosso discurso para poderem nos encher os culhões. 
Tive uma conversa via chat hoje que eu preferia ter levado um tiro:

- meus primos uma vez chegaram no Quilombo Rio dos Macacos, morreram de medo pois eles pareciam, segundo meus primos, primitivos, sem contato com sociedade. Acharam que eram canibais. - disse um "amigo".
- Seus primos são retardados, man!  - disse-lhe eu
- Man, você precisa parar de ser preconceituoso! - disse-me ele.

Daí em diante nem valeu à pena discutir mais. Eu sei, os caras eram apenas ignorantes e eu os ofendi gratuitamente, mas se eu for preconceituoso por enxergar num racista um doente é melhor "lamber meu cu" (como dizem os alemães).
Na Bahia, pelo menos na que eu vejo andando por aí, as pessoas tem medo de gente preta, pobre, suja. Tem gente que não enxerga a outra pessoa que está indo em sua direção, elas veem apenas a sua cor e, talvez, se está bem vestida, limpa... se for preto, estiver mal vestido, ou sujo, a maioria não se dá ao trabalho de olhar nos olhos pra reconhecer, ou quem sabe dizer bom dia, boa tarde, boa noite.
Falo isso com muito conhecimento de causa e não estou nem mesmo fazendo disso uma reclamação, pois sei que no mundo que vivemos hoje o estereótipo do ladrão ainda é: preto e pobre. Mas como eles sabem que é pobre? Pelas roupas. Se for preto e estiver barrunfado(cheirando a maconha), aí então é ladrão na certa. Eles ensinam isso na academia de polícia, mas muitas pessoas que não fizeram academia já vem com esse preconceito desde a infância, e não vai ser a legalização/discriminalização que vai lhes tirar essa idéia.
Algumas pessoas passam por mim na rua sem me ver. Amigos, amigas, pessoas que pulariam em meu pescoço, não pra me matar, mas para me abraçarem. Às vezes, quando mesmo assim as cumprimento percebo o constrangimento, não por não terem me reconhecido, mas por terem tido uma idéia ruim da pessoa que estava indo em sua direção. Eu poderia mandá-los à merda, todos.
Fico pensando: se um dia eu me rebelasse e passasse a tratar todas as pessoas brancas e caretas como animais, qual seria meu crime? Mas eu deixo esse tipo de coisa para os da "elite". Eles têm todo o direito de terem preconceitos, afinal são uns doentes(não todos) e devemos mostrar respeito.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *