domingo, 11 de março de 2012

Blogger Life 008

Ontem eu vi uma pessoa ser atropelada. Era um bêbado, que tentava atravessar a rua sem olhar para os lados, ele estava de costas para a rua quando se virou foi só um pequeno passo. O motorista devia estar concentrado em qualquer coisa que não na pista; talvez ajeitando sua criança no banco do carona, ou talvez ele acreditasse que o bêbado tinha visto o carro mesmo estando de costas na beira da pista e com o trânsito bem lento, não sei.
Deu pra eu ouvir os ossos quebrando, a roda do carro passou por cima do pé, talvez dos dois pés, retrovisor do carona o tombou, apesar de a todo custo o atropelado ter tentado se manter de pé acabou caindo com as pernas pra cima. Fiquei completamente atônito. O atropelador não parou nem mesmo pra pegar seu retrovisor no chão e o atropelado não se manteve na horizontal nem mesmo por um segundo e se levantou praguejando contra o mundo. Vi sua perna torta, pensei em ligar para 192, 190, mas à medida que eu me distanciava do local do acidente vi o bêbado atravessar a rua novamente parando todos os carros. Fiquei impressionado com tudo aquilo e terminei não ligando pra ninguém porque até alguém resolver atender minha solicitação o bêbado certamente não estaria mais lá.
As pessoas no bar, na rua, as que estavam nos carros e que viram a cena, ninguém se mexeu a fim de dar alguma assistência ao acidentado, nem mesmo eu que segui meu caminho de bike.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *