quarta-feira, 12 de outubro de 2011

"Tá bom, mas não se irrite."


Ainda que a verdade seja libertadora, que o amor seja infinito e que a esperança morra de padecimento, amo a liberdade e tenho esperança de que um dia isso não seja nenhuma ofensa, agressão, crime, ou qualquer maledicência, pois meu único intuito foi: que a verdade fosse clara e sem direito a análise de pontos-de-vista. Não existem duas veraddes sobre uma mesma questão, há pontos-de-vista, mas a realidade é simgularíssima. Não posso inventar a verdade. Ainda não possuo esse dom. Talvez mesmo me seja dado esse direito de o ter, mas ainda não aonteceu. Enfim, a realidade assim como me acontece é, digamos, absurda, muito mais vezes que o necessário.  

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *