domingo, 16 de março de 2014

Torcedores, putas e outros sexos frágeis

"O sexo frágil não foge à luta" já dizia nossa amada Rita Lee, mas eu sei que por mais que ela se esforce não conseguiria ser uma coisa (sexo frágil) nem outra (puta) consequentemente, pois o sexo frágil é aquele que aceita a submissão e a impotência ante à parceira(o). Ser puta é o resultado de uma sociedade que cultua o o corpo e o sexo, o dinheiro e a imagem. 
Desde a semana passada a questão que todos os programas futebolísticos que cobrem o campeonato paulista levantava era: "se o São Paulo Futebol Clube jogaria para perder o confronto contra o Ituano Futebol Clube?" Em minha molesta opinião essa é uma questão absurda. Os times de futebol devem respeitar sua própria história e o domínio dos jogos em seu estádio. Não tem o menor cabimento perder uma invencibilidade em casa, que faz aumentar a confiança, que incentiva a presença do torcedor ao estádio, faz o jogador profissional se sentir valorizado em seus vencimentos milionários, sem falar na sequência de vitórias, apenas para prejudicar a um rival que já vai mal das pernas.
Esqueceram completamente de considerar o time do Ituano e as imprevisibilidades de cada partida. Quem já viu jogar depois de chover granizo? Por melhor que fosse a drenagem do estádio estava bem difícil fazer a bola correr. E acredito que o tal rival ainda deu sorte, pois na última rodada ele vai jogar em casa para nenhum torcedor e também não vai vencer, como não venceria o Penapolense. Mas o time deles não é problema meu. O Jogo seria 0x0 se a chuva acontecesse antes da partida começar, mas eu não vou ficar aqui fingindo que não gostei do resultado. A chuva era um sinal de São Pedro lembrando a Santo Paulo que as coisas deveriam ficar como estavam, se os caras tinham feito um golaço não era demérito do Ituano.
O outro "time grande" que foi eliminado com esse resultado não traz e nunca trouxe nenhum valor à competição exceto as brigas de sua torcida e as vergonhosas acusações de manipulação de resultados. Um time de futebol, na minha opinião, deve honrar sua camisa e pregar valores morais melhores do que "vitória mesmo que comprada". Meu time costuma vencer jogos. 
Quando você contrata um prostituta ela se submete a você com algumas restrições. (ou não, dependendo da puta) O caso do torcedor de futebol é bem semelhante, pois pra ele tudo o que importa também é o prazer, neste caso, de torcer. Eu não sei se a puta se emputece quando não goza, porque ela está ali é pra fazer gozar, mas o torcedor... é o torcedor. No fim das contas estamos sendo todos submissos, mas daí a ter medo de enfrentar um "grande" rival é uma outra coisa. Se o time deles vai mal das pernas problema deles. É obrigação do "meu time" vencer, já vencemos adversários dificílimos, não só pela camisa, mas pelo talento de seus jogadores.
O jogo foi ruim. Após o temporal, pelo estado do gramado 1x0 seria muito pra qualquer lado que fosse, mas se o São Paulo vencesse era capaz de a "torcida organizada" do clube criar caso e começar a dar pití. Me desculpem meus amigos São Paulinos, mas eu prefiro favorecer um rival com uma vitória do que perder em casa  seja qual for o motivo. Tudo bem que é uma derrota que pra a gente não significa nada, mas levanta suspeitas.
Não acredito que os caras entraram em campo para perder e quem fala uma coisa dessa não tem a menor noção de amor próprio. O Ituano mereceu vencer e faz um campeonato muito bom. Valoriza a competição, fortalece a economia do interior. Quem dera aqui na Bahia houvesse o mesmo respeito com o futebol e os campeonatos. Mas cá como lá nos querem fazer acreditar que é apenas o dinheiro que manda, o que sabemos não ser bem assim a não ser com as profissionais do sexo que aceitam até uns tapas na cara com as cédulas certas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *