terça-feira, 15 de março de 2016

Desnecessariedade da vida #2

22/05/07
Elas querem me promiscuir
Eles querem me promiscuir
A promiscuidade é uma droga

23/05/07
A droga
Os viciados não vivem sem ela, mesmo que a sociedade os condene. A sensação de prazer compensa qualquer vexame.
Os não viciados que a usa ainda busca o prazer, ora pra compensar a falta de um outro prazer, ora por pura diversão.
É a mesma droga, mas alguns veem diferença.
Qual o sentido disso?


01/06/07
Mais uma de um infeliz

Foi por ela que eu mudei
Mudei meu jeito de pensar
Mudei meu jeito de falar
Foi por ela que eu mudei

Foi por ela que eu cansei
cansei de me corrigir
De não saber aonde ir
Jamais dela eu cansei

Mas não vai ser comigo
Que ela vai voltar a ser feliz
Não vai ser comigo que ela vai sofrer mais uma vez

Mas não vai ser comigo
Que ela vai voltar, voltar a ser feliz
Não vai ser comigo
Que ela vai ser infeliz mais uma vez

01/06/07
Lá vou eu pra mais um dia de trabalho
é sexta-feira e eu nem vou reclamar
Pois sei que no fim do expediente
Vou bater meu ponto lá no bar

05/06/07
Não sei porque tenho uma memória tão ruim
Será um mecanismo de defesa?

05/06/07
Ela faz tudo pra me atingir e depois tenta de tudo pra se desculpar. Mas suas desculpas são bem piores que suas agressões. É uma situação na qual a dor não deve ser aliviada, pois causará mais e mais dor. 
Ela é má, ela sabe disso. Pode até não gostar, mas sabe que se não agir assim pode perder o que ainda não tem.
Ela não é feliz e não sabe como se-lo.
Vamos continuar vivendo nossas vidas. No fim de tudo ficaremos bem, sobreviveremos, saberemos mais sobre nós mesmos.
Ela pode nunca ter a felicidade que queria e acha que merece; 
eu posso nunca fazer alguém feliz, mas sei que amanhã verei seu sorriso, pois ela sempre sorri, e ela vai procurar um jeito de me atingir e eu um jeito de perdoá-la e encontrarei, pois ela merece meu perdão.
Não me desespero nunca. Sei que sempre há o que tolerar, sempre há o que nos aproxime, mesmo nunca aparecendo o que nos una.

----

Tente desculpar ó meu amor
Eu te confesso, eu menti
naquela carta
mas não foi uma mentira barata
porque quem ama mente
quem ama mente muito, muito bem

pense que foi pra não te perder 
que eu escrevi mentiras fabulosas 
com palavras poderosas
porque quem ama mentequem ama mente muito, muito bem

---

11/06/07
É exatamente por não acreditar em destino que eu não queria te ver.
Se eu não estou no seu ou se você está no meu, foda-se!
Não quero te ver. Ou pelo menos não queria.
Agora é tarde. Já estamos aqui
E eu tinha toda a razão em não querer.
Eu costumo ter razão.
Falei a verdade quando disse que te amava e falo a verdade quando digo que não quero te ver.
Não quero, não vou, mas vim, estou aqui, estamos aqui e isso é bom.
Mesmo assim não acredito em destino.

---

Algumas pessoas querem ter,
apenas pra gastar
Mas eu gasto mesmo é escrevendo
Posso ter o que eu quiser
Mas o melhor de tudo
é que eu nem preciso sair do lugar
ou fazer alguma bobagem sem pensar.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *