terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Contrariedades

Algumas tardes são frias, vazias e quando você se dá conta a noite já avança em alta velocidade pela penumbra fugaz. Montei em minha bicicleta e de repente tudo era luta pelo espaço. Eu saí pra comprar pão e torcia apenas para que a conta desse menos de os cinco reais e as moedas que eu carregava no bolso de minha bermuda que já faz 5 dias que não me deixa. Tudo é culpa das crises: econômica, crise fiscal, crise política, crise da meia idade, crise de identidade, crise... é tudo o que se consegue captar num universo tão diverso de problemas.
Nosso país não está em guerra apesar da tentativa de golpe, da morte de um candidato a presidente, da corrupção escancarada, temos coisas menores pra nos preocupar do que uma guerra. Vivemos em uma terra abençoada por não haver terremotos, vulcões ou furacões e apesar do el niño os danos causados pela natureza ainda são nada comparado aos que nós próprios causamos jogando "apenas um lixo" pela janela. E somos pegos no engarrafamento do excesso de vendas de carros ou no péssimo planejamento urbano que junto com a má educação dos condutores cria um caos enlouquecedor. E pra onde iremos? Como resolver esses problemas?
O pão que eu queria só tinha um então eu peguei esse pão solitário e mais o que eu costumava comprar e não é que a conta foi menor ainda que o de costume? 1 real a menos do que eu pago todo dia levando um pão a mais. Perguntei no caixa se era promoção, mas ele nem me ouviu. Vim para casa encabulado com o pão e nem pensei mais em meus outros problemas mais comuns. Afinal, o cara errou na balança? O pão estava mais leve? Ou eu participei de alguma pegadinha? Só sei que nada sei. Ficou foi provado que nem sempre as contrariedades são pra nos aborrecer, elas às vezes nos livram de mais aborrecimentos.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *