sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Perda de tempo


Hoje é moda fazer as cosias de uma maneira mais demorada e burocrática do que elas realmente precisam ser, e isso não é porque as pessoas precisam de autorização de alguém para alguma coisa, é pura falta de sensibilidade, amor próprio, e, não menos vezes, pura falta do que fazer. Acho que é o medo do ócio que faz as pessoas gastarem tempo demais fazendo coisas que não gastariam tempo nenhum.
Qual é o verdadeiro tempo? O que a gente precisa mesmo saber pra estar de acordo com nosso tempo? O que podemos fazer pra não perder tanto tempo com coisas que não queremos nem precisamos de fato? Será que ter paciência não é perda de tempo?
Talvez essa falta de sentido seja mera carência afetiva, ou necessidade de atenção, o fato é que hoje não se pode mais simplesmente sair de casa e resolver seus problemas, no meio do caminho nos deparamos com uma série de outras “desnecessidades” que acabam simplesmente atrasando o nosso lado e não servem pra mais nenhuma outra coisa. Algumas pessoas nem se tocam disso. Elas acham que é realmente necessário tirar o dinheiro do banco pra pagar a conta na loteria, ou ainda esperar o sinal ficar vermelho e depois verde novamente pra atravessar a rua e não ser atropelado por algum animal, mas não entendem que isso não é realmente necessário e na verdade não tem nada de coerente.
Algumas vezes damos uma explicação de 20 minutos para um procedimento que demora 10 segundos. Isso vem também da nossa incapacidade de comunicação. Perdemos muito tempo porque não sabemos falar com as pessoas; não sabemos falar com as pessoas porque não sabemos como organizar nossas idéias; não sabemos organizar nossas idéias porque temos pressa; temos pressa porque perdemos tempo demais procurando a melhor maneira de não se ter tempo pra nada e nos mantermos ocupados para manter um quê de sucesso.
E o expediente? Qual é o trabalhador que produz 40 horas semanais? Poucos, e a maioria nem tem seu trabalho reconhecido. O sucesso está em manter uma imagem de que se produz muito e essa imagem se reflete no cidadão ocupado, mesmo que seja uma produção inútil. É como na arte: Não importa a qualidade do artista, importa que ele esteja produzindo e vendendo.
Perdemos muito tempo com uma idéia de que quanto mais informação, maior a chance de ser bem-sucedido, mas essa informação nunca é filtrada. Aprendemos coisas que não tem nenhuma utilidade em nossa vida prática e mesmo assim continuamos absorvendo informações que não nos servem.
Poucas pessoas têm tempo pra pensar na vida e as que o tem nem se dão conta de que há um sentido maior do que o stress. Eu até tento fazer minha parte avisando que não vale a pena se aborrecer, que uma hora tudo vai se ajeitar, mas isso também é uma perda de tempo sem tamanho.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *