sábado, 10 de outubro de 2015

Eu me entristeço sem saber por que

Minha cabeça fala coisas estranhas.
Ouço bips e ruídos que não sei
O quê me querem dizer?
Minha mão, até mesmo meu pau
Não me respondem
Me sinto ainda mais que o nor-mal-fodido
As pessoas à minha volta
Não me escutam
A parte que consegue nem me entende
O que eu digo?
E o que eu faço?
Pra chorar teriam que ser as lágrimas de um mundo
E então o que eu faço?
Um minuto de silêncio?
Mas teria que ser o silêncio do universo
(...) então começa a chover.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *