quinta-feira, 2 de julho de 2015

Se a raiva me amanhecesse

Tem dias que a bobeira
faz gente se encher
Esquece o que é reciprocidade.
Esquece até que ama
E pra que serve o amor?
Se não faltaria por nada...
se não perderia por nada...
se não deixaria passar...
umas horas de alegria se perdem.
E fica tudo tão doido:
Amor, sexo e amizade;
Saudade, urgência e intriga;
Esquece até o relógio
E pra que servem as horas?
Se o momento feliz é achado...
se o tempo feliz é parado...
Se o que fica é o prazer.
Até que, enfim, amanhece

e a gente se enche de ódio.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *