quinta-feira, 26 de junho de 2014

Santa Amizade

Minha amiga que mora longe
Pra lá de onde o vento é seco
Sinto arder em meu peito
A vontade de te dar um soco
Bem no meio do seu estômago
Pra incomodar horas e horas
Como essa saudade que eu tenho aqui
Se não fosse essa vontade
Eu ia chorar um monte
Pois você assim distante
Pode se esquecer de mim

Ah minha amiga
Se tu soubesses
O amor que eu lhe tenho
É Maior ainda
Talvez pela distância
Que nos aproxima
Talvez pelo tempo
Que se envelhece
Não conto os ois
Nem conto os ais
Compartilhados e omitidos
Entre amigos e rivais
Só por sua atenção
A chatice e o tesão
O desejo e a chateação

Minha amiga que mora longe
Pra lá de onde o vento é seco
Sinto arder em meu peito
A vontade de lhe dar um beijo
Bem abaixo de sua orelha
Pra estalar horas e horas
Como esses tapas que eu dou aqui
Se não fosse essa vontade
Eu ia chorar um monte
Pois você assim distante
Pode se esquecer de mim

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *