sábado, 3 de julho de 2010

Bem que minha mãe dizia

Ontem eu tive uma grande decepção com a seleção canarinho. Incrivelmente uma partida que não se esperava nenhuma surpresa se transformou numa nova lição de vida para muitos brasileiros incluindo este que vos escreve.
Passei a semana toda tentando articular um lugar legal para assistir a partida entre Brasil e Holanda certo de que seria um grande jogo e mais uma vez o Brasil ia espancar, mas os dias foram passando e apenas na véspera foi que eu tive alguma luz de algum lugar para assistir. O palno era ir de bike, dormir na casa de alguém e no dia seguinte me dirigir ao "bar do jogo". O lance é que São Pedro não estava querendo cooperar com minha rotina ciclística e mandou chuva pra valer. Acabei saindo com a bike no rack na esperança de que pros lados de lá pudesse andar mais tranquilamente pelas ruas molhadas, porém não alagadas como as da suburbana. Eu tinha tudo o que precisava e o mais importante, a caminha 10, suja, estava guardada em minha pochete só esperando a hora  de se mostrar e dar a mesma sorte que deu na última partida.
Eu dei um rolezinho na night com meu brother Maluquinho e mais um brother que viera de Sampa curtir a SalCity. Tomamos todas e eu fui pra casa de uma amiga passar a noite e aguardar o 2 de Julho, aniversário de independência do Brasil, mas que nós brasileiros insistimos em dizer "Independência da Baiha", como se a Bahia fosse independente de alguma porra. Chegando lá bebi mais um pouco de conhaque, amarula e cachaça, porque vocês sabem que eu sou um profissional que jamais diz não a uma bebidinha no fim de noite.
Acordei com a enxaqueca, velha parceira, latejando seu mau humor, como para me avisar que eu deveria ter ficado na cama, mas eu estava ansioso demais pra dar atenção a ela e fui cuidando de olhar o tempo, ligar pros camaradas e me preparar pra cair no mundo, mas um mundo de água caía em cima da cidade e meus planos de ir de bike assistir ao jogo foram indo por água abaixo.
A manhã avançou, chegou a hora do jogo e nós decidimos assistir em casa mesmo. A tv nem queria exibir as imagens, tudo parecendo querer me fazer desistir de assistir, mas eu sou brasileiro, né? Demos um jeito na antena e nem quando eu vi o Brasil de azul e lembrei de pegar minha camisa amarela que estava dobrada pelo avesso, dentro de um saco, dentro da pochete. Assisti ao jogo muito confiante na seleção, nem mesmo a virada dos holandeses abalou minha fé, mas o apito final me mostrou que nem só de fé vive o homem e foi aí que eu me toquei de que não estava com meu amuleto de sorte, e o que é pior, esqueci das sábias palavras de minha mãe quando eu ainda estava aprendendo a cuidar de minha própria roupa: "Não guarde roupa pelo avesso que dá azar."

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *