sábado, 20 de fevereiro de 2016

Cada dia mais morto

Tenho certeza que em minhas vidas passadas eu não vivi tanto, porque cada dia mais morto é como eu tenho acordado toda manhã nos últimos anos. Talvez seja a hora de me reinventar. Renascer. Será doloroso assim como nascer pela primeira vez. Nunca saberei quando será o último, mas que será um duro golpe, eu sei. Tem aqueles dias que eu acordo querendo estar em qualquer ponto da história da humanidade onde a expectativa de vida fosse menor, mas pra ser uma grande merda às vezes me parece que vou viver para sempre. E não há nada que eu queira criar. Ainda bem que existem almas que o simples encontro já salva um dia, digo, uma vida inteira. Não saudarei ninguém, mas agradeço a Jah todos os dias por essas fazerem parte de minha vida e me ajudarem a resistir nesse adverso mundo imundo.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *