domingo, 21 de setembro de 2014

A chegada da primavera

Me sinto meio fraco e covarde. A cerveja nunca pediu a ninguém pra ficar em casa numa bela manhã de primavera, muito pelo contrário, o certo mesmo era sair e encher a cara para celebrar a chegada das flores, o amor e as coisas boas da vida, mas depois de um porre o corpo (velho) amanhece cheio de problemas.
Tento me recompor como antigamente abrindo outra cerveja pra ver se me animo a sair, mas lá vem novamente o pensamento do "velho": "tenho cerveja em casa vou sair pra que?" E fico aqui ouvindo música, navegando na internet, escrevendo e trabalhando um pouco. Escrever aliás tem sido raro, mas eu prometi a mim mesmo que nessa primavera eu mudaria meu... (como é mesmo a palavra?)... 
Escrever e compor é tudo que eu me prometi fazer nessa primavera para que no verão eu possa ter alguma paz de espírito. (Força, Preto!) É horrível se sentir fraco. Se o cara não acorda pra beber num belo domingo de sol ele é um fraco. Se ele não sai de casa porque se sente fraco ele é um covarde e é isso.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Se chegue

Nome

E-mail *

Mensagem *